sexta-feira, 1 de abril de 2011

"Poéticas da imanência", de Annita Costa Malufe



Em Poéticas da imanência, Annita Costa Malufe se dedica a encontrar – e a explorar – as ressonâncias entre a filosofia da diferença e as poéticas de Ana Cristina Cesar e Marcos Siscar, e o encontro destas poéticas entre si. A visão literária de Deleuze é a sua principal bússola nesses encontros poéticos e filosóficos que se dão a despeito das distâncias de tempo e espaço que os separam – que acontecem, numa espécie de simultaneidade temporal, no instante da leitura.

Ler este “Poéticas da imanência” de Annita Costa Malufe é antes de mais nada um prazer estético. Pela forma e pelo seu tema. A autora consegue dar à prosa acadêmica um tom distinto, singular, ao mesmo tempo autoral – despedindo-se dos cansativos truques de “objetividade” – e quase, ouso formular, íntimo. É como se frequentássemos não uma tese de doutorado (o que este livro também é, e das boas), mas sim um laboratório de leitura. Um laboratório dirigido por uma poeta e apaixonada pela língua e suas figurações. Nada mais saboroso.  Márcio Seligmann-Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

satara