quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Entrevista de Thiago Camelo para o jornal "O Fluminense"




Thiago Camelo conversou com a repórter Flávia Custódio sobre seu livro Verão em Botafogo. A entrevista foi publicada ontem, 21 de setembro, no jornal O Fluminense. leia abaixo um trecho da matéria, ou clique aqui para ver na íntegra.

POESIA EM PIXELS
Thiago Camelo fala da sua estreia no mundo literário com a obra Verão em Botafogo, que promete reunir imaginário, memórias, fatos reais, traumas, sonhos e cotidiano
por Flávia Custódio

Aos 27 anos de idade, o carioca Thiago Camelo acaba de lançar seu primeiro livro, Verão em Botafogo. Formado em jornalismo e em cinema, ele escreve poesias que revelam seu cotidiano nos diversos bairros da cidade em que já morou, como a Barra, Copacabana e Jardim Botânico. Mas é do bairro de Botafogo que veio a inspiração para o blog (www.veraoembotafogo.blogspot.com) que abrigou as primeiras poesias de Thiago e que deram nome ao livro, lançado este mês pela editora 7Letras. Nesta entrevista, Thiago fala de sua estreia no mundo literário com a obra, que promete reunir imaginário, memórias, fatos reais, traumas, sonhos e cotidiano

Você cursou jornalismo e cinema. De alguma forma esses cursos te ajudaram a se tornar escritor?
O hábito de escrever diariamente ajuda bastante, claro. Tenho um apreço danado pelo português, uma paixão mesmo. Um interesse profundo até mesmo pelos meandros da língua - da gramática oficial ao chamado “português brasileiro”. Mas, no fundo, não saberia dizer ou apontar coisas específicas que me ajudaram a encontrar o mínimo de inspiração para escrever um livro. Não apontaria o cinema, por exemplo, como responsável. Não apontaria a própria literatura como responsável. Ou a música ou o que quer que seja. É mais uma influência de tudo o que eu vivo, né? De memórias a imaginários, passando por fatos reais, sonhos, traumas até chegar ao cotidiano mais cotidiano.


Você sempre quis escrever livros? E poesia em particular?

Acho que sempre quis escrever um livro. Nunca tive certeza se conseguiria. Isso não quer dizer que eu sempre quis ser escritor. A minha ideia era conseguir, por meio de uma fala minha, contar uma história. Sempre gostei muito de escrever, muito mais até do que de ler. Sobre a poesia, não, nunca pensei em escrever poesia. Aliás, “saiu” um livro de poesia. Eu tinha muita coisa escrita já. Contos, poemas, pensamentos etc. Só que acabei gostando primeiro de um formato de poesia que achei para mim. Daí, só depois de ficar minimante satisfeito com o que escrevia, passei a publicar no blog. A editora gostou, houve o contato e está aí o livro. Foi tudo meio por acaso, na verdade. A ideia inicial era mostrar, compartilhar um pouco minha visão de mundo no blog. Até hoje não sei direito por que publiquei estas poesias. Provavelmente foi por vaidade, por necessidade de afirmação, para conseguir alcançar o outro com um sentimento meu.


Leia mais no site d'O Fluminense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

satara