segunda-feira, 10 de maio de 2010

Lançamento: Contos de Mary Blaigdfield, a mulher que não queria falar sobre o Kentucky (e outras histórias), de Lucas Viriato de Medeiros


Leia um trecho do conto "Mary Blaigdfield — a mulher que não queria falar sobre o Kentucky (III)":

Leões! Ela jamais gostou de leões. Eles não fazem nada! As leoas, sim, essas trabalham, caçam, cuidam da prole. As leoas são as verdadeiras rainhas da selva. É como num tabuleiro de xadrez: a rainha se matando na horizontal e na diagonal, para ganhar o jogo, enquanto o rei não passa de um grande peão com honrarias. Ah, e sem falar que volta e meia fica em xeque, chamando a esposa para salvá-lo. Lamentável.

Não, certamente a jaula dos leões não era a que mais lhe interessava. E havia tantas coisas interessantes para serem vistas ali. Onde será o setor dos répteis?, pensou, olhando para uma placa. Ficou examinando.

“Você está aqui.”

“Não, quem está aí é essa bola amarela. Eu estou aqui, em frente à placa!”

Não eram somente os leões que a incomodavam: o didatismo das placas de informações também.

Uma coisa era fato: estava por demais estressada. E quando ficava estressada, tudo passava a ser um problema.

“Tire alguns dias para você mesma” — dissera Larry. “Não pode fazer mal a ninguém descansar um pouco.” Não entendia para quê! Para que perder tempo descansando, se ela estava ótima? As pessoas veem problema onde não existe.

— Pipoca! Pipoca! Pipoca! — gritava um vendedor, passando com seu carrinho próximo à placa diante da qual ela estava parada. Os gritos eram acompanhados de uma incessante música infantil, repleta de tons agudos. Irritante.

Será que quero pipoca?, pensou. É, o programa não estaria completo sem pipocas.

— Quanto é a pipoca?

— Dois e cinquenta a pequena, e quatro a grande.

— Uma pequena, por favor.

— Qual sabor?

— Como? Sabor? — perguntou, distraída.

— É, sabor! Natural, queijo, bacon, chocolate ou Mendolatium?

Mendolatium! Embora já devesse ter se acostumado com aquilo, ainda parecia estranho. Se ao menos as pessoas soubessem de toda a verdade! Todo esse Mendolatium sendo consumido ao redor do planeta! Uma hora, as consequências virão à tona, mas aí, provavelmente, já será tarde demais — pensava em questão de segundos.

— Natural, por favor.

Comprou um saquinho e seguiu em direção aos répteis. “Proibido alimentar os animais”, estava escrito no saco, acompanhado de um desenho (riscado) de um homem dando pipoca aos macacos. Aquilo a irritou também.





Lucas Viriato de Medeiros, carioca de 26 anos, é formado em Letras pela PUC-Rio, com habilitação em produção textual. Atualmente cursa o mestrado em Literatura Brasileira na mesma universidade. Desde 2006 edita o jornal literário Plástico Bolha, que já publicou centenas de autores, entre novos e consagrados. Em 2007, lançou Memórias Indianas (Ibis Libris), sobre sua primeira viagem para a Índia. Retorno ao Oriente (7Letras), de 2008, deu continuidade ao projeto poético sobre o leste do mundo. Contos de Mary Blaigdfield, a mulher que não queria falar sobre o Kentucky (e outras histórias) marca sua estreia na prosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

satara